segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Desde que escrevi aqui pela última vez,

Perdi o meu pai, amor da minha vida, e ainda não sei viver sem ele nem sem a parte da minha mãe que perdi no mesmo dia. É imensa a falta que ele me faz. As minhas sobrinhas cresceram muito. A mais velha já tem maminhas, como é que pode? Continuei a amar o mesmo homem, que se tem revelado a minha melhor escolha. Estamos a planear o resto da nossa vida juntos. Os amigos mantiveram-se os mesmos e eu sinto-me grata por eles todos os dias. Continuei a fazer o que gosto e a ser paga para isso. Fui recebendo novos desafios e aguentei-me à bronca. Eu e o meu Adérito escolhemos a cachorra mais bonita de sempre e a nossa vida nunca mais foi a mesma. Passei a ser uma daquelas pessoas que beijam loucamente os seus cães e que dizem "anda à mãe". Calma, eu sei que não pari um cão, não enlouqueci. Ela é maravilhosa, apesar de largar monumentais bufas enquanto permanece impávida e nos recrimina com o olhar, como se viessem de um de nós. Envelheci muitos anos só este ano mas recentemente cortei 26 cm de cabelo para parecer mais nova. Experimentei as amizades mais sinceras, nos momentos mais difíceis da minha vida. Ponderei regressar ao Porto mas fiquei. Deixei os blogs mas hoje apeteceu-me e espero que vocês estejam todos bem. Às vezes lembro-me de vocês.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Por mais tempo que passe, por mais longos que fiquem os períodos em que nem me lembro que isto existiu, por mais que pareçam pertencer a outra vida os disparates que aqui debitei, a verdade é que ainda há momentos em que sinto saudades de cá vir. De vir e ficar. Limpar a casa e instalar-me novamente, estalar os dedos e escrever.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

A nova morada já foi enviada. Se me esqueci de alguém, é natural. Já estava a ficar vesga. Até sempre.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

E pronto, chegou o dia da adiada decisão.

Acabou o Nervos em Frangalhos. Andava a ver se conseguia manter-me por cá mas a verdade é que gosto mais do anonimato e este estaminé já era conhecido por muita gente. Descuido meu, é certo, mas parecendo que não, isso já me estava a castrar um bocado. Portanto, ao fim de quase três anos, vou começar de novo, noutro sítio qualquer. Não sei quando começo, mas quando o fizer, aviso os seguidores todos que tiverem e-mail associado ao perfil e aviso os de sempre, que me aquecem tanto o coração. Esta merda custa tanto como valentes pontapés nas costas mas tem de ser. Acredito que vá ter saudades mas a vida faz-se de mudança e não havia melhor altura para terminar este blogue. Estou feliz, sinto-me realizada, tenho dinheiro, tenho saúde, tenho os meus amigos e a minha família sempre comigo e tenho o meu Adérito. Bem sei que podíamos ser um casal do tipo GI Joe meets GI Jane da brandoa mas não, somos mais Chen meets Cardinali e assim vamos continuar. Gostava muito de vos contar como foi o meu próximo fim de semana, se a minha mãe gostou do Adérito ou não e das unhas que roí com os nervos, mas conto-vos depois, numa nova morada. Vou assim, feliz. E como sempre disse, os fins são, na verdade, os melhores começos. Adios.